Páginas

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

365 dias e ainda dói

papai e eu

Dia 16 de Fevereiro completou um ano que meu pai se foi, mas eu não quis escrever no dia exato, porque fazia mal. Ainda me dói no coração e a minha voz ainda engasga quando lembro que ele não tá mais aqui, e que tudo aconteceu muito rápido, e que mais rápido ainda passou esse primeiro ano sem ele.

Caiu num domingo nublado e chuvoso, que a gente nem podia sair de casa pra eu espairecer, e ocupar um pouco a cabeça. Fui a missa de tarde e rezei por ele.

Quem me conhece pessoalmente e ha algum tempo, vai achar estranho eu escrever assim… essas pessoas sabem que a nossa relação não era das melhores, infelizmente. Mas ainda assim, era meu pai e eu o amava e o amo como tal. Independente dos caminhos e escolhas dessa vida, que nos tomou aquela cumplicidade de quando eu pequenininha e ele ainda morava conosco.

Mas o que me dói mais, é que essa situação estava mudando pra melhor. Talvez porque eu estava amadurecendo. Talvez porque eu estava començando a aprender a relevar, e dar valor só no presente. Talvez porque ele se deu conta do tempo que perdeu. Talvez porque me mudei e comecei minha própria família. Talvez porque ele sentiu saudade de como erámos. Ou talvez simplesmente porque erámos pai e filha, e independente de qualquer coisa, cedo ou tarde essa nossa ligação seria maior do que as nossas diferenças. Mas infelizmente, não deu tempo de curtir mais esse momento de reaproximação. Infelizmente não pude mostrar pra ele as minhas pequenas conquistas aqui. Infelizmente ele não vai ver os futuros netos. E infelizmente eu não vou mais o ver.

Eu não tive tempo de dizer o quanto tinha saudade dele, de como a gente era. E isso é ruim.

Se você aí do outro lado ainda não disse o quando sente saudade e ama alguém, não espere amanhã pra fazer isso. Não espere estar longe pra dizer. Não espere que a outra pessoa dê o braço a torcer. Não espere, faça! Porque a gente nunca sabe quando será a última vez. (É clichê, mas é a verdade!)

Tenho saudades, pai.

Até um dia!

.

2 comentários:

  1. `Manu, a dor da saudade é algo que levaremos para sempre. Perder um pai é algo que nem consigo imaginar... Sinto muitíssimo pela sua dor e por vc não ter tido a oportunidade de estreitar mais ainda os laços com seu pai. Mas tenha certeza que para ele nada disso importava. Longe ou perto ele era seu pai e nenhum desentendimento pode mudar isso.
    Beijos e sinta-se abraçada

    ResponderExcluir
  2. Manu, sinto muito, nem consigo imaginar o quanto deve doer perder algum familiar. É fácil pras pessoas julgarem seu comportamento, mas só você sabe o quanto você o amava. Você tem todo direito de se sentir triste, afinal de contas é seu pai.

    Um abraço bem apertado!!

    ResponderExcluir

Vou adorar ler o seu comentário aqui!

Obrigada. =)